a OBSERVATÓRIO DA PAX: Novembro 2011

sábado, 19 de novembro de 2011

Glória a Deus e paz na terra! Contributos para a celebração do Advento 2011

"Glória a Deus e paz na terra!". Neste cântico dos anjos sobre os campos de Belém (cf. Lucas 2,14) ressoa uma mensagem de esperança para todos os homens e mulheres da Terra: Deus ama-nos a todos e dá-nos a esperança de um tempo novo, um tempo de paz. Esse amor, revelado numa criança indefesa, ao ser acolhido no mais íntimo do coração «reconcilia cada um com Deus e consigo mesmo, renova as relações entre os homens e gera aquela sede de fraternidade que é capaz de afastar a tentação da violência e da guerra» (João Paulo II).

Neste tempo de Advento, que estamos prestes a iniciar, mais do que nunca a esperança é uma palavra-chave: Inspirados e motivados pelos exemplos vindos do mundo árabe (Tunísia, Egipto, por ex.), face à violência, à repressão e aos sentimentos de vingança, vemos pessoas comuns em todo o lado tentando fazer com que o momento presente da história seja um ponto de viragem para a paz, escolhendo caminhos não-violentos que levam à paz e à justiça.

"Glória a Deus e paz na terra!". Sob este tema decorreu a Convocatória Ecuménica Internacional pela Paz, organizada pelo Conselho Mundial de Igrejas (17 a 25 de Maio de 2011, Kingston, Jamaica). Aí, cerca de 1.000 participantes, oriundos de mais de 100 países, procuraram encontrar os meios para enfrentar a violência e rejeitar a guerra em benefício de uma "Paz Justa".

Da mensagem final desta Convocatória Ecuménica foram retirados os textos para esta brochura que a Pax Christi Portugal, como tem vindo a ser costume, preparou para o tempo de Advento, com contributos para a sua celebração e vivência nas paróquias, nas famílias ou nos grupos, tendo como ideia central a temática da Paz: "Glória a Deus e paz na terra! Contributos para a celebração do Advento 2011".

Está disponível em dois formatos para impressão: Livro dobrado ou em A5 simples.

Novembro de 2011.

Etiquetas: , ,

Pax Christi Internacional pede Histórias de Paz

Histórias de Paz para o Advento e o Natal em Belém 2011

Este ano trouxe novas perspectivas para a liberdade no mundo árabe. Os movimentos na Tunísia e no Egipto lançaram um grito pela democracia. Na Praça Tahrir, no Cairo, no início deste ano, muçulmanos e cristãos rezaram juntos pela mudança. Noutros países, apesar da repressão cruel, o movimento para a democracia e a responsabilidade parece imparável. Inspirados e motivados por estes exemplos, muitos indivíduos e grupos de todo o mundo – mesmo fora do mundo árabe – mostram enorme coragem ao escolherem caminhos não-violentos que levam à paz e à justiça. Eles elevam as suas vozes e dizem a verdade ao poder, criando histórias inspiradoras de não-violência para restaurar a paz e construir pontes entre comunidades e religiões nos seus países e em todo o mundo. Face à violência, à repressão e aos sentimentos de vingança, vemos pessoas comuns em todo o lado tentando fazer com que o momento presente da história seja um ponto de viragem para a paz. Mais do que nunca, a esperança é uma palavra-chave.

Durante este Advento e Natal, convidamos-vos a partilhar nestes tempos importantes de esperança e de mudança. Também na Terra Santa, novas iniciativas por uma mudança não -violenta ganham atenção.

Enquanto no passado fizemos um apelo de envio de orações e mensagens de Natal, agora gostaríamos de vos convidar a partilhar neste novo clima de esperança através do intercâmbio de histórias de paz.

Pensamos em histórias que podem ser curtas ou mais longas; não precisam de ser em estilo literário, podem ser sobre qualquer situação no mundo, incluindo até a própria vida de cada um; podem ser imaginárias ou baseadas na vida real. O que terão em comum é uma mensagem de paz e justiça, de não-violência e de construção de pontes, que tenha inspirado pessoalmente as pessoas.

As histórias serão utilizadas em Belém, na Palestina e em outros lugares, em contextos educacionais e religiosos. Esperamos que, com o tempo, se venham a converter num recurso valioso para a espiritualidade e a prática da paz em diferentes lugares.

Não importa quão pequeno este gesto possa parecer, o envio de uma história inspiradora oferece um apoio genuíno àqueles que a recebem. É um sinal de esperança. É um sinal de que as pessoas de fora se preocupam com o destino do povo desta região. De que não devem desistir e de que a mudança para a verdadeira paz é realmente possível.

Esta iniciativa é apoiada localmente por:

Instituto Árabe Educativo
Biblioteca Itinerante para a Não-violência e a Paz
Centro para a Resolução de Conflitos e Reconciliação
Comissão Justiça e Paz de Jerusalém
Centro Wi'am

Esta iniciativa é apoiada internacionalmente por:

Fórum Ecuménico Palestina-Israel do Conselho Mundial de Igrejas
Pax Christi Internacional
Fraternidade Internacional da Reconciliação (IFOR)
Igreja e Paz
Presidência da Conferência das Comissões Justiça e Paz Europeias
Centro Asiático para o Progresso dos Povos
Secretariado da Comissão Justiça, Paz e Integridade da Criação da USG/UISG.

Por favor enviem as vossas inspiradoras histórias para a paz por e-mail antes de 25 de Dezembro de 2011 (Natal Ocidental) e/ou 7 de Janeiro de 2012 (Natal Oriental). Apesar de o inglês ser a língua preferencial, os não anglófonos podem também enviar histórias de paz na sua própria língua. As mensagens podem ser enviadas por e-mail para o Arab Educational Institute [Instituto Árabe Educativo] para o seguinte endereço: info@aeicenter.org.

Todas as mensagens podem ser lidas em www.aeicenter.org.

Bruxelas, Novembro de 2011

Etiquetas: , ,

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Santa Sé pede fim das armas de fragmentação

O Observador Permanente da Santa Sé junto das instituições das Nações Unidas em Genebra, Suíça, considerou “inaceitável” que a comunidade internacional permita a morte de pessoas vítimas de bombas de fragmentação.
Falando na 4ª conferência para a revisão e limitação do uso de algumas armas convencionais, esta segunda-feira, o arcebispo Silvano Maria Tomasi criticou ainda a tendência para “enfraquecer as normas de direito humanitário”.
As bombas de fragmentação contêm um dispositivo que, ao abrir-se, liberta um grande número de pequenas bombas, as quais permanecem nos locais atingidos durante vários anos, podendo explodir a qualquer momento. (Mais...)

Agência Ecclesia

Etiquetas: ,