a OBSERVATÓRIO DA PAX: Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2017 | Os jovens e o Ecumenismo: o derrubar dos muros

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos 2017 | Os jovens e o Ecumenismo: o derrubar dos muros

Na força da juventude é possível ultrapassar grandes muros, ir mais além perante o aparentemente inultrapassável.

A vida tem muros: Uns pequenos, outros maiores, os internos e os externos e alguns que separam realidades, bem duras…

Mas ser jovem em Cristo implica uma atitude proactiva ao jeito de Jesus: positiva, determinada e empreendedora, que procura, com irreverencia caminhar, superar, ser mais, saindo do “sofá”, da zona de conforto, para construir algo de novo, com o espírito firmado no “amor de Cristo que nos move” 2 Cor 5, 14

Construir um muro implica técnica de junção de partes – pedras, tijolos, massas, entre outros materiais, com a finalidade de erguer algo que pode ser para separar, dividir e em alguns casos proteger, no entanto, mesmo os grandes os muros, devem permitir entrada e saída, para que haja liberdade, “a verdade vos libertará” Jo 8, 32.

Em Portugal, o movimento ecuménico, consubstanciado no desejo de Cristo, para que “todos sejam um para que o mundo creia” Jo 17,21, tem vindo a ganhar cada vez mais força junto dos jovens, muito por causa do FEJ – Fórum Ecuménico Jovem, que desde 1998, tem proporcionado em dezenas de cidades portuguesas, espaços de encontro/festa de jovens de diferentes Igrejas, bem como a necessária formação e aprendizagem ecuménica.

Tenho acompanhado a evolução do FEJ desde o seu início, há 18 anos, até os dias de hoje, como membro da equipa organizadora. Recordo a primeira reunião em Leiria. Participaram clérigos e jovens das Igrejas Católica Romana, Lusitana - Comunhão Anglicana, Metodista e Presbiteriana. Grandes pontes foram criadas que possibilitaram a milhares de jovens a experiência da unidade na diversidade, em que a diferença do Outro constitui uma riqueza e não propriamente um obstáculo, uma pedra!

Obviamente que ver no outro Irmão, que pertence a outra Igreja, um sinal da mesma Igreja de Cristo, requer uma abertura forte e ousada, uma identidade segura que permita ver para além do muro e ser capaz de derrubar e transformar as pedras da divisão em pedras que se juntam e formam verdadeiramente a Igreja Una de Cristo.

Por isso ser jovem é ser portador desta esperança que com a força que vem de Cristo é capaz de fazer “rolar a pedra” Lc 24,2 e inaugurar algo novo, porque viver uma fé “jovem” com Jesus permite “fazer novas todas as coisas” Ap. 21,5.

Reverendo Sérgio Alves
Presbítero da Igreja Lusitana – Comunhão Anglicana
Membro da Equipa Ecuménica Jovem

Departamento Nacional da Pastoral Juvenil | DNPJ

Etiquetas: , , ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home