a OBSERVATÓRIO DA PAX: ECUMENISMO: Relembrar a Assinatura da Declaração do Reconhecimento Mútuo do Batismo, 25 janeiro 2014

domingo, 25 de janeiro de 2015

ECUMENISMO: Relembrar a Assinatura da Declaração do Reconhecimento Mútuo do Batismo, 25 janeiro 2014

Declaração Conjunta do Reconhecimento Mútuo do Sacramento do Batismo, 
assinada na Catedral Lusitana de S. Paulo (Comunhão Anglicana) em Lisboa,
no dia 25 de Janeiro de 2014




A IGREJA CATÓLICA ROMANA, a IGREJA LUSITANA CATÓLICA APOSTÓLICA EVANGÉLICA, a IGREJA EVANGÉLICA METODISTA PORTUGUESA, a IGREJA EVANGÉLICA PRESBITERIANA DE PORTUGAL e a IGREJA ORTODOXA DO PATRIARCADO DE CONSTANTINOPLA, conscientes da concordância que entre elas já existe sobre os pontos fundamentais de doutrina e prática batismal e constatando que, na prática, já aceitam tacitamente o reconhecimento mútuo da validade do sacramento do Batismo tal como é administrado nas suas Igrejas, decidem:

Reconhecer mutuamente a validade do Batismo nelas administrado e tornar público este reconhecimento 

e, em conjunto, declaram:

  1. Aceitar que o Batismo nelas administrado foi instituído por nosso Senhor Jesus Cristo e é, fundamentalmente, uma dádiva gratuita de Deus ao batizando, vinculando-o com a morte e ressurreição de Cristo (Rm 6,3-6), para o perdão dos pecados e para uma vida nova;
  2. Ensinar que o Espírito Santo desceu sobre Jesus no seu Batismo e desce também hoje sobre a Igreja, tornando-a comunidade do Espírito Santo que, em testemunho, serviço e comunhão, proclama o seu reino;
  3. Aceitar o Batismo como vínculo básico da unidade que nos é dada pela fé no mesmo Senhor;
  4. Aceitar o Batismo como processo da nossa consagração para a edificação do Corpo de Cristo, tendo em vista o nosso crescimento «até que cheguemos à unidade da fé e à medida da estatura da plenitude de Cristo» (Ef 4,13);
  5. Administrar o Batismo com água e em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, para a remissão dos pecados, de acordo com a intenção e o mandamento de Cristo (Mt 28,18-20);
  6. Excluir a possibilidade do rebatismo nos casos de passagem de membros de uma Igreja para outra;
  7. Aceitar como válidos os certificados de Baptismo emitidos pelas nossas respectivas Igrejas;
  8. Esperar que este reconhecimento constitua um passo em frente no caminho da unidade visível do único Corpo de Cristo «para que o mundo creia» (Jo 17,21) e contribua para uma maior comunhão entre todos os batizados.

    Lisboa, Catedral Lusitana de S. Paulo, 25 de Janeiro de 2014


    Assinaram a Declaração: 

    Pela Igreja Católica, o Patriarca de Lisboa, Manuel Clemente

    Pela Igreja Lusitana (Comunhão Anglicana), o Bispo Jorge Pina Cabral

    Pela Igreja Metodista, o Bispo Sifredo Teixeira

    Pela Igreja Presbiteriana, a Pastora Sandra Reis

    Pela Igreja Ortodoxa do Patriarcado de Constantinopla, o Arquimandrita Philip Jagnisz, Vigário para Portugal e Galiza (1 de Fevereiro de 2014)


    VÍDEOS RELACIONADOS:

    Etiquetas:

    Links to this post:

    Criar uma hiperligação

    << Home