a OBSERVATÓRIO DA PAX: ADVENTO 2016: Era estrangeiro e acolhestes-me? (cf. Mt 25,35ss). Contributos para a celebração do Advento 2016

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

ADVENTO 2016: Era estrangeiro e acolhestes-me? (cf. Mt 25,35ss). Contributos para a celebração do Advento 2016

Em 2015, segundo dados das Nações Unidas, em todo o mundo:
- O número de migrantes internacionais (pessoas que vivem num país diferente do de origem) atingiu os 244 milhões, um aumento de 71 milhões ou 41% em comparação com 2000 (Tendências do Stock Internacional de Migrantes: Revisão 2015);
- 65,3 milhões de pessoas estavam deslocadas devido a perseguição, conflito, violência generalizada ou violação dos direitos humanos, das quais 21,3 milhões eram refugiados num país estrangeiro, 40,8 milhões deslocados internos e 3,2 milhões à procura de asilo (Tendências Globais 2015);
- O número de refugiados atingiu o seu nível mais alto desde a Segunda Guerra Mundial.

A dimensão desta tragédia humanitária, que não pode deixar ninguém indiferente, mas a tod@s deve interpelar, tem sido uma das principais preocupações do pontificado do Papa Francisco, o qual não se tem cansado de, repetidamente, a denunciar não só com palavras mas também com gestos concretos, e apelar ao compromisso, urgente, de todos neste âmbito, mas dos cristãos principalmente. E este «[é] um compromisso que envolve todos, sem exclusão. As dioceses, as paróquias, os institutos de vida consagrada, as associações e os movimentos, assim como cada cristão, todos são chamados a acolher os irmãos e as irmãs que fogem da guerra, da fome, da violência e das condições de vida desumanas. Todos juntos somos uma grande força de apoio para quantos perderam pátria, família, trabalho e dignidade», como exortou ao comentar as palavras de Jesus: «Era estrangeiro e acolhestes-me; estava nu e vestistes-me» (Mt 25,35-36), na Audiência Geral do passado dia 26 de Outubro.

É, pois, neste espírito, que a Pax Christi Portugal propõe este itinerário para o Advento de 2016, com contributos para a sua celebração e vivência seja na paróquia, em família ou em grupo, tendo como ideia central a temática da Paz.

Neste tempo litúrgico em que, em expectativa vigilante e laboriosa, alimentada pela oração e pelo compromisso efectivo do amor feito serviço, nos preparamos para acolher o «Príncipe da Paz» que vem ao nosso encontro, o qual com a sua família «no doloroso caminho do exílio, em busca de refúgio no Egipto [,…] experiment[ou] a condição dramática dos prófugos, marcada por medo, incerteza e dificuldades (Cf. Mt 2,13-15.19-23)» (PAPA FRANCISCO - Angelus. Domingo, 29 de Dezembro de 2013), saibamos redescobrir o dom da hospitalidade, «um profundo valor evangélico, que alimenta o amor e é a nossa maior segurança contra as odiosas ações de terrorismo» (PAPA FRANCISCO - Discurso aos participantes na Conferência promovida pela Confederação Europeia e a União Mundial dos Ex-Alunos e Alunas dos Jesuítas), acolhendo como nossos irmãos e irmãs tod@s @s que se viram forçad@s a abandonar os seus países de origem, devido à crise económica, aos conflitos armados e às mudanças climáticas.

Porque outro mundo é possível se há hospitalidade, assumamos, neste Advento 2016, o compromisso de criarmos uma cultura da hospitalidade, de modo a que esta seja «direito de todos e dever para todos» (LEONARDO BOFF - A hospitalidade: direito de todos e dever para todos). Como bem afirma Leonardo Boff: «Todos têm o dever de hospedar e o direito de ser hospedado porque vivemos na mesma Casa Comum» (Ibidem).

Novembro de 2016.


Era estrangeiro e acolhestes-me? (cf. Mt 25,35ss). Contributos para a celebração do Advento 2016 está disponível para impressão aqui.

Etiquetas: ,

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home